Filtro de barro

Reconhecido mundialmente pelo potencial de filtragem , o tradicional filtro de barro brasileiro é uma opção barata e ecologicamente correta para ter água fresquinha sempre à disposição.

Sinônimo de água limpa e fresca, a invenção 100% brasileira é cada vez mais procurada como alternativa sustentável de purificação de água.

Como pode um objeto tão simples, feito de argila, ser mais eficiente que os filtros mais modernos?

O melhor do mundo

Eleito em 2006 como o meio de filtragem de água eficiente do mundo pelo The Drinking Water Book (O Livro da Água Potável), o aparelho filtra partículas de até 1μm (um mícron), ou seja, um milionésimo de metro. 

Dessa forma, microorganismos e poluentes não contaminam a água que sai da torneira. A baixa pressão e a lentidão com que a água passa pela vela garantem uma filtragem mais eficaz.

Além disso, o artefato também garante água 5ºC mais fresca que a temperatura ambiente.

O segredo do filtro de barro

Utilizando a gravidade, a água do reservatório superior penetra na cerâmica porosa da vela, passa por uma camada de prata coloidal – material bactericida – e pelo carvão ativado, que retém o cloro existente.

O tempo de uso da vela é em torno de seis meses, mas a limpeza constante pode prolongá-lo. Use uma esponja macia, sem produtos químicos, esfregando e enxaguando na posição normal.

Origem incerta

Quando imigrantes portugueses e italianos chegaram a São Paulo, no fim do século XIX, trouxeram as primeiras velas, feitas de pedra porosa, da Europa. As peças rudimentares eram instaladas em potes de metal ou pedra.

Não se sabe quem inventou o filtro que conhecemos atualmente. Contudo, sabemos as jazidas de argila do interior de São Paulo incentivaram a confecção de potes de barro, substituindo os de metal e pedra.

Assim, a invenção se espalhou por todo o Brasil, onde epidemias que dizimavam a população deixaram de existir.

Toda essa história deve ter dado aquela sede, não é? Que tal um pouco de água fresquinha?

comente aqui o que achou =)